Manuel Alegre - O nosso país está desarmado, a nossa última garantia é o Tribunal Constitucional
Início
Notícias
Editoriais
Entrevistas do MIC
Lugar da Cidadania
Opinião
Iniciativas/Parcerias
 
Galeria de Edições
Quem Somos
Coordenação
Núcleos
Como Participar
 
Apoiantes
Links
Downloads
 
Contactos
NEWSLETTER
 


-
Manuel Alegre defende Pedro Nuno Santos e diz que irresponsabilidade é o servilismo
[PMF, Lusa, 16-12-2011] | 0 comentários
O ex-candidato presidencial Manuel Alegre saiu hoje em defesa das controversas declarações proferidas pelo dirigente socialista Pedro Nuno Santos sobre pagamento da dívida, dizendo que irresponsabilidade "é o servilismo e seguidismo" face ao atual projeto da Alemanha.

Pedro Nuno Santos, vice-presidente do Grupo Parlamentar do PS, defendeu sábado à noite, em Castelo de Paiva, que Portugal devia ameaçar deixar de pagar a dívida nacional.

"Nós temos uma bomba atómica que podemos usar na cara dos alemães e franceses - ou os senhores se põem finos ou nós não pagamos. As pernas dos banqueiros alemães até tremem", disse na altura em declarações captadas pela Rádio Paivense FM e retransmitidas hoje pela Renascença.

Confrontado com o teor desta posição, Manuel Alegre recusou à agência Lusa que se esteja perante "um escândalo" político.

"Pelo contrário, acho que estamos muito de joelhos e é uma questão de dignidade dar um grito de alma. Portugal deve tentar pagar a dívida, mas não deve aceitar estar de joelhos, transformando-se numa colónia dos bancos alemães e da Alemanha", disse.

Para Manuel Alegre, "a Alemanha parece ter de novo um projeto imperial".

"E é bom que haja novos quadros [do PS], gente jovem, como é o Pedro Nuno [Santos], a soltar estes gritos de alma. Precisamos de gente assim, com determinação e com garra para a democracia", sustentou.

O ex-candidato presidencial Manuel Alegre fez ainda questão de se demarcar da corrente dos socialistas que considerou irresponsável a posição assumida pelo vice-presidente da bancada socialista, sobretudo face a eventuais consequências no plano diplomático.

"Irresponsabilidade é a abdicação, irresponsabilidade é a sujeição, a submissão, o servilismo e o seguidismo", contrapôs.
 

 
Comentário ao texto
Os campos assinalados com * são de preenchimento obrigatório


Imagem de segurança


Os comentários são sujeitos a validação. Serão excluídos todos os conteúdos racistas, xenófobos, difamatórios e atentatórios da boa imagem dos visados.

info@micportugal.org