Manuel Alegre - O nosso país está desarmado, a nossa última garantia é o Tribunal Constitucional
Início
Notícias
Editoriais
Entrevistas do MIC
Lugar da Cidadania
Opinião
Iniciativas/Parcerias
 
Galeria de Edições
Quem Somos
Coordenação
Núcleos
Como Participar
 
Apoiantes
Links
Downloads
 
Contactos
NEWSLETTER
 


.
Manuel Alegre em Sines
Manuel Alegre afirmou hoje que o mandato de Cavaco Silva enquanto Presidente foi uma "experiência falhada".
[Lusa, 30-11-2010] | 1 comentário
Reagindo à apresentação do manifesto presidencial de Cavaco Silva, esta segunda-feira, Manuel Alegre criticou o facto do candidato apoiado pelo PSD e CDS-PP considerar "que Portugal precisa de um presidente com muita experiência".
Continuação

.
Crise
Os responsáveis do BCE tentaram forçar a Irlanda a aceitar ajuda externa no princípio deste mês e agora estão a fazer o mesmo com Portugal.
[Lusa, 30-11-2010] | 0 comentários
"Claramente, foram pessoas fora deste país que estavam a tentar, no princípio deste mês, empurrar-nos, enquanto Estado soberano, para fazer um pedido de empréstimo, atirar a toalha antes sequer de considerarmos isso, enquanto Governo", disse o ministro da Justiça irlandês numa entrevista à televisão RTE, citada pela Bloomberg.
Continuação

.
Manuel Alegre
Candidato socialista diz que apoio de Belmiro faz sentido. Em França, apelou "a uma mobilidade nacional" contra a vinda do FMI
[Jornal i, 29-11-2010] | 0 comentários
Isto anda tudo ligado, não há surpresas e muito menos coincidências. Para Manuel Alegre, o apoio de Belmiro de Azevedo à recandidatura de Cavaco Silva a Belém é a prova de que "ele é o candidato do grande capital.
Continuação

.
Contra o Aquecimento Global
[Público.pt, 29-11-2010] | 0 comentários
Representantes de cerca de 200 países vão debater, durante duas semanas, os próximos passos no combate ao aquecimento global, mas sem perspectiva de um novo tratado internacional que substitua o Protocolo de Quioto.Continuação

.
[Público.pt, 29-11-2010] | 0 comentários
A Comissão Europeia arrasou os pressupostos que estão na base do Orçamento do Estado para 2011 ao apontar para um crescimento negativo da economia de 1 por cento e um défice orçamental de 4,9 por cento do PIB, três décimas superior ao compromisso assumido pelo governo.Segundo as previsões económicas semestrais do Outono divulgadas em Bruxelas, Portugal será, em conjunto com a Grécia, o único país entre os Vinte e Sete da União Europeia (UE) com uma recessão em 2011. Na Grécia, a queda do PIB atingirá 3 por cento.
Continuação

.
Presidente do MIC demite-se do Governo
"A demissão do secretário de Estado da Justiça Dr. João Correia, está aceite" anunciou hoje o ministério.
[Lusa com MIC, 27-11-2010] | 0 comentários
O ministro da Justiça, Alberto Martins, vai assumir as competências do secretário de Estado João Correia que havia apresentado a demissão na segunda-feira, anunciou hoje o ministério. Continuação

.
Com as comunidades portuguesas
Presidente da Câmara de Paris vai participar na campanha
[http://manuelalegre2011.pt/, 26-11-2010] | 0 comentários
O presidente da Câmara de Paris, Bertrand Delanoë, disponibilizou-se para entrar na campanha presidencial de Manuel Alegre, em Lisboa ou na capital francesa, e irá gravar um vídeo de apoio ao candidato. O apoio foi manifestado durante um encontro na Câmara parisiense, no âmbito da visita de três dias a França.
Continuação

.
Manuel Alegre em entrevista ao Sol
[por Graça Rosendo e Helena Pereira, SOL, 26-11-2010] | 1 comentário
Aos 74 anos, o poeta e ex-deputado tenta pela segunda vez a eleição presidencial, agora com apoio partidário. Queixa-se de a sua campanha estar a ser ignorada nos media e diz que «não se candidata para preservar o Governo do PS».
Continuação

.
[Público.pt, 25-11-2010] | 0 comentários
O mercado de trabalho em Portugal foi um dos mais atingidos pela crise financeira e económica, com uma clara subida da taxa de desemprego, revela um relatório sobre o “Emprego na Europa em 2010” hoje divulgado em Bruxelas pela Comissão Europeia.O documento conclui que “a queda do emprego na União Europeia foi muito mais moderada que a queda na actividade económica”, mas, nalguns Estados-membros, o impacto da crise no mercado de trabalho “foi muito mais pronunciada”, apontando o relatório que tal se verificou nos Estados bálticos, Dinamarca, Irlanda, Portugal e, sobretudo, Espanha.Continuação

.
Governo diz que margem de manobra para mudar políticas "é nula". José Sócrates não saiu de São Bento, ao contrário do que fizera Cavaco Silva, durante a greve geral de 1988
[João Manuel Rocha, Público.pt, 25-11-2010] | 0 comentários
As centrais sindicais mostraram capacidade de mobilização, "músculo", como lhe chamou o sociólogo Manuel Villaverde Cabral, e reclamaram a adesão de mais de três milhões de trabalhadores à greve geral de ontem. Mas o Governo, que contesta o número da CGTP e UGT, já fez saber que a margem de manobra para alterar as políticas que estiveram na origem da paralisação é "nula".
Continuação

.
Manuel Alegre nas Caldas da Rainha
[http://www.manuelalegre2011.pt/, 23-11-2010] | 0 comentários
“Há um muro de silêncio à volta das eleições presidenciais, uma clara tentativa de minimizar e desvalorizar a eleição presidencial. É evidente que isto interessa à direita e ao candidato Cavaco Silva, que não gosta de campanha e não gosta de perguntas incómodas e de debate. Mas a democracia é ela própria uma incomodidade”. Num discurso improvisado e interrompido por aplausos, Manuel Alegre afirmou que o papel do Presidente da República é “fazer ouvir a voz de Portugal e defender a reconstrução da Europa”. “Não podemos permitir que em nome de uma guerra cambial a Europa seja desconstruída a favor do centro mais poderoso e em desfavor dos países periféricos”.Continuação

.
Greve Geral
[23-11-2010] | 0 comentários
Os secretários-gerais da CGTP e da UGT disseram ontem estar convencidos de que haverá uma forte mobilização para a greve geral marcada para amanhã, a primeira em que as duas centrais participam em conjunto desde 1988.Continuação

.
[Lusa, 20-11-2010] | 0 comentários
O candidato presidencial Manuel Alegre declarou-se hoje «farto» de ouvir «muita gente» quase a profetizar «o fim de Portugal» e a entreabrir as portas ao Fundo Monetário Internacional (FMI). Continuação

.
[Lusa, 20-11-2010] | 0 comentários
O candidato presidencial apoiado pelo PS e pelo BE, Manuel Alegre, acusou hoje a chanceler alemã Ângela Merkel de "estar a pôr um garrote financeiro nos países da periferia", considerando que Cavaco Silva devia "defender os interesses nacionais".
Continuação

.
Manuel Alegre no mercado do Bolhão no Porto
[http://manuelalegre2011.pt, 20-11-2010] | 0 comentários
Entre os estreitos corredores, ao som dos bombos da Associação Recreativa Águias de S. Mamede de Infesta, Manuel Alegre distribuiu beijos e abraços a comerciantes e foi junto das bancas do peixe que o candidato recebeu fortes elogios.
Continuação

.
Manuel Alegre em Tavira reune cerca de 450 apoiantes em jantar
[www.manuelalegre.com, 19-11-2010] | 0 comentários
“Apesar de haver quem não esteja muito interessado em fazer emergir a eleição presidencial” disse Manuel Alegre esta noite em Tavira, “esta tão grande mobilização num dia de semana, à semelhança do que aconteceu em Coimbra, Viseu e Montalegre, demonstra que é possível ganhar esta eleição”. Continuação

.
[18-11-2010] | 0 comentários
Questionado sobre as afirmações do ministro Luís Amado, que pediu uma grande coligação, Alegre disse que, após as legislativas, houve conversações mas faltou vontade política. "Nem me parece haver", reforçou, sem especificar a quem falta essa vontade.Continuação

.
[Jornal i, 18-11-2010] | 0 comentários
O desemprego em Portugal vai aumentar para os 11,4 por cento no próximo ano, abrandando para os 11,1 por cento no ano seguinte, prevê a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico.
Continuação

.
Reunião com a CIP
Manuel Alegre considerou hoje o desemprego como “um dos maiores flagelos” e afirmou que a solução passa pelo crescimento da economia e da competitividade e não pela “liberalização do despedimento”.
[Rita Brandão Guerra, Público.pt, 17-11-2010] | 0 comentários
Alegre defende que é imprescindível, perante o momento que o país atravessa, “criar riqueza para fazer face ao desemprego estrutural e de longa duração.”
Continuação

.
Manuel Alegre com dirigentes da Associação Académica de Coimbra
[http://www.manuelalegre2011.pt/, 17-11-2010] | 0 comentários
No contexto da manifestação estudantil em Lisboa, Manuel Alegre encontrou-se esta tarde com dirigentes da Associação Académica de Coimbra, responsável pela organização da acção de protesto. O candidato manifestou-se preocupado com a redução das prestações sociais aos estudantes e deixou um apelo ao Governo para encontrar forma de evitar o abandono escolar.
Continuação

.
Manuel Alegre na Torre de Moncorvo
[http://manuelalegre2011.pt/, 15-11-2010] | 0 comentários
Manuel Alegre reafirmou as críticas ao silêncio do actual Presidente “perante a ofensiva especulativa contra o Estado português”, acusando-o de ser um “neoliberal” e um “conservador”. Num almoço, este Domingo, em Carviçais, Torre de Moncorvo, o candidato deixou ainda o alerta para a existência de “muitos outros défices”, além das contas públicas, como o da interioridade e da desertificação.Continuação

.
Timor-Leste poderá vir a comprar, em breve, títulos de dívida pública portuguesa, disse hoje em Macau o Presidente José Ramos-Horta.
[Lusa/SIC/Expresso, 14-11-2010] | 0 comentários
Timor-Leste poderá vir a comprar, em breve, títulos de dívida pública portuguesa, disse hoje em Macau o Presidente timorense, José Ramos-Horta.
Continuação

.
Candidato do PS diz que não se recandidata a Belém se for eleito Presidente.
[HELDER ROBALO, DN, 14-11-2010] | 0 comentários
A intenção anunciada por Manuel Alegre de fazer apenas um mandato se for eleito Presidente da República é bem acolhida junto de alguns no PS. Renato Sampaio, líder da distrital do Porto, assegura mesmo que esta posição pública pressiona mesmo um eventual segundo mandato de Cavaco Silva.
Continuação

.
Manuel Alegre em entrevista ao Expresso
[http://manuelalegre2011.pt/, 13-11-2010] | 0 comentários
Portugal precisa de um Presidente que se faça ouvir, disse Manuel Alegre em entrevista ao Expresso, explicando que há “um combate político que Portugal tem de travar”. Perante o novo eixo franco-alemão, afirma que “somos parceiros iguais da UE” e que “é grave que o PR tenha a posição de resignação e de conformismo em relação aos mercados”. “Merkel ameaça os credores, o que aumenta o risco” e faz subir os juros. “Isso é do domínio político, não é dos mercados”, diz Manuel Alegre.
Continuação

.
[ Maria Lopes, Leonete Botelho, Nuno Simas, Público.pt, 12-11-2010] | 0 comentários
A "agregação" entre a Lusa e a RTP que está a ser ultimada pelo Governo poderá passar pela compra, pela televisão pública, dos 49,83 por cento do capital da agência noticiosa que actualmente estão dispersos entre accionistas privados. Um negócio que merece muitas reservas ao PSD, preocupado com uma eventual "renacionalização" da agência noticiosa.
Continuação

.
Escalada dos juros pode levar os dois países a recorrer ao fundo de auxílio europeu
[EDUARDA FROMMHOLD, DN, 12-11-2010] | 0 comentários
A União Europeia prepara-se para ajudar a Irlanda, onde os juros da dívida já tocam os 9%. Portugal pode ser o próximo a precisar de auxílio, a menos que se consiga uma acalmia dos mercados.
Continuação

.
[http://manuelalegre2011.pt/, 12-11-2010] | 0 comentários
Manuel Alegre defendeu ontem que “não é de certeza com silêncios” que se “combatem os especuladores e se pode resolver o problema da pressão especulativa dos mercados financeiros” que fez disparar os juros da dívida pública. “O silêncio dos responsáveis políticos pode significar que aqueles que se calam estão de acordo com a avaliação que é feita da situação portuguesa e isso é muito grave para a nossa economia, para as nossas empresas e para o nosso país”, afirmou o candidato na inauguração da sede da sua candidatura em Castelo Branco.
Continuação

.
Juros da dívida pública
[Lusa/Público.pt , 10-11-2010] | 0 comentários
O candidato presidencial Manuel Alegre defendeu ontem que é preciso “serenidade”, mas também “firmeza”, para “acalmar os mercados” sobre a dívida nacional, mas rejeitou a necessidade de entrada do FMI em Portugal.Continuação

.
Credit Suisse diz que Portugal tem de recorrer ao FMI
Portugal pagou esta manhã a taxa de juro mais alta do ano, mas sem ultrapassar os 7 por cento, tendo conseguido colocar no mercado 1.242 milhões de euros, com a procura a mais que duplicar a oferta.
[Lusa, 10-11-2010] | 0 comentários
Os juros das obrigações do Tesouro nacionais com maturidade a 2020 avançaram hoje até aos 7,106%. Este agravamento surgiu apesar de Portugal ter conseguido colocar hoje no mercado 1.242 milhões de euros em obrigações do Tesouro a 10 e a 6 anos.
Continuação

.
O candidato às presidenciais defende que a subida dos juros da dívida pública não corresponde à situação económica do país e acha que a intervenção do FMI é evitável
[Portugal Diário, 10-11-2010] | 0 comentários
O candidato presidencial Manuel Alegre criticou esta quarta-feira o silêncio de responsáveis políticos nacionais, sem referir nomes, perante o que classifica de ataque especulativo injusto que faz subir os juros da dívida pública.
Continuação

.
[abola.pt, 09-11-2010] | 0 comentários
O apelo de Manuel Alegre à maior participação dos dirigentes socialistas na sua candidatura presidencial foi, segundo o próprio, mal entendido. O histórico do PS explicou que pretendeu «chamar as pessoas à mobilização e à participação».
Continuação

.
Manuel Alegre no Congresso da Tendência Sindical Socialista da CGTP
[http://manuelalegre2011.pt, 08-11-2010] | 0 comentários
“O papel dos sindicatos no nosso país e na Europa é mais importante do que nunca” afirmou Manuel Alegre esta tarde no encerramento do IX Congresso da Tendência Sindical Socialista da CGTP, onde foi calorosamente recebido, porque “é preciso fazer frente a esta ofensiva” em toda a Europa contra os direitos sociais, que “custaram o sacrifício de tantas gerações”. O candidato considerou que a greve geral “vai ser um momento de grande significado sindical, político e democrático” e criticou o facto de ninguém ter perguntado “ao candidato Cavaco Silva nem a nenhum outro candidato qual era a sua posição sobre a greve”.
Continuação

.
Manuel Alegre
[CM, 08-11-2010] | 0 comentários
O candidato à Presidência da República Manuel Alegre defendeu este domingo que as eleições de 23 de Janeiro não são um mero acto eleitoral e que aí se jogará "o futuro político do País" e o seu "modelo de sociedade".
Continuação

.
[Lusa, 08-11-2010] | 0 comentários
O candidato presidencial Manuel Alegre fez hoje um apelo aos membros da sua Comissão Política para que promovam nas suas intervenções públicas a "centralidade" das eleições para Presidente da República para o futuro da esquerda portuguesa.
Continuação

.
Bloco tem estado presente, mas faltam os dirigentes do PS na rua. Alegre deixa apelo
[EVA CABRAL, DN, 07-11-2010] | 0 comentários
A passagem de Manuel Alegre pelo distrito de Viseu ficou ontem marcada pelos apelos, repetidos, "aos socialistas e à direcção do partido" para que se juntem à campanha presidencial, de modo a tornar possível uma segunda volta nas presidenciais. Alegre assegura que "não está sozinho", mas, frisa, "há dirigentes que estão calados".
Continuação

.
Milhares de trabalhadores da administração pública participaram ontem da manifestação organizada pela Frente Comum de Sindicatos contra as medidas de austeridade do Governo.
[Expresso.pt, 07-11-2010] | 0 comentários
Milhares de trabalhadores da administração pública participaram esta tarde de uma manifestação em Lisboa que a Frente Comum de Sindicatos espera ser um primeiro passo na mobilização para a greve geral.
Continuação

.
[http://manuelalegre2011.pt/, 07-11-2010] | 0 comentários
Manuel Alegre garantiu hoje que, se fosse Presidente da República, escreveria uma nota à administração da PT a chamar a atenção para a “imoralidade” que considera ser a distribuição de dividendos. Na nota, chamaria “a atenção para o facto de terem sido distribuídos milhões de euros em dividendos que vão ficar livres de impostos, num momento em que os sacrifícios recaem sobre aqueles que menos podem, e isto é uma imoralidade”.
Continuação

.
Candidato presidencial defende que um presidente deve poder fazer mais quando está em causa a soberania nacional
[ A.A., DN, 06-11-2010] | 0 comentários
O Presidente da República "deve ter uma palavra a dizer quando os mercados financeiros ameaçam a soberania nacional". O aviso de Manuel Alegre foi feito no "cavaquistão", e ainda lembrou ao PS: "é preciso acordar, porque se eu perder, perdemos todos."
Continuação

.
Manuel Alegre enviou uma carta às comunidades portuguesas emigrantes e apelou ao seu «patriotismo»
[05-11-2010] | 0 comentários
O candidato presidencial Manuel Alegre apelou esta quinta-feira ao «patriotismo» dos portugueses que vivem fora do país e à sua participação para contribuírem de «forma decisiva» na eleição de um chefe de Estado com «uma visão do mundo progressista», escreve a Lusa.
Continuação

.
Manuel Alegre em encontro com Bispo do Porto
[Lusa, 04-11-2010] | 0 comentários
O candidato à Presidência da República, Manuel Alegre, encontrou-se hoje com o Bispo do Porto, defendendo que Portugal precisa de “uma nova frugalidade, de outra capacidade de criação e de refazer o tecido produtivo” para combater a crise.Continuação

.
Manuel Alegre em Marco de Canavezes
[http://manuelalegre2011.pt, 04-11-2010] | 0 comentários
A pensar “nos mais desfavorecidos”, naqueles que mais sentirão as “medidas de austeridade muito duras”, contidas no Orçamento de Estado aprovado hoje na generalidade, Manuel Alegre considerou que a sua candidatura é, "num momento difícil, mais necessária do que nunca". Exortando todos os portugueses que querem um projecto humanista em Portugal a compreender que está em causa nas próximas eleições não apenas "a escolha de uma personalidade", mas o "conteúdo social da nossa democracia”, Manuel Alegre recebeu o aplauso caloroso e entusiástico de duas centenas de apoiantes presentes num jantar de campanha no Marco de Canavezes.
Continuação

.
Manuel Alegre com CGTP e UGT
Manuel Alegre considerou que os encontros que teve hoje com dirigentes das centrais sindicais, CGTP-in e UGT, foram muito “interessantes e profundos”, onde foram “abordados os problemas fundamentais da situação do país”.
[http://www.manuelalegre2011.pt, 03-11-2010] | 0 comentários
No final do encontro com o secretário-geral da UGT, Manuel Alegre salientou a “convergência de pontos de vista” com ambas as centrais sobre a necessidade de “novas políticas sectoriais que reconstituam o nosso tecido produtivo” e de mais “sensibilidade social”, numa situação que também se tem agravado no sector privado “em que o mundo do trabalho está a ser fustigado”.
Continuação
info@micportugal.org